Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Análise Semanal 25/09

Publicado em 25.09.2009 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo, Análises Semanais

.

video

Gráficos: Ibov, DJI, S&P500, Fluxo 10 Mais, Fluxo Bovespa, LAD, VIX, DJUBS, PETR4, VALE5, LAD NY, Treasuries 10 anos, Petróleo, Risco Brasil, Dólar comercial e Juros futuros Jan2012.

.
Para ver o vídeo: Clique na imagem. Abrirá uma nova janela e clique no play.
.

Fluxo 10 Mais – Semanal

fluxo



Importante: O vídeo têm propósito exclusivamente informativo e o intuito apenas de servir como um canal de discussão sobre estratégias gráficas. Em nenhum momento, as opiniões pessoais do autor representam recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. O autor não recomenda que seja feito uso desses modelos em aplicações comerciais e por sua vez, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas.

.
.
.

Análise Semanal

Publicado em 18.09.2009 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo

.

video

Gráficos: Ibov, DJI, S&P500, Fluxo 10 Mais, LAD, VIX, PETR4, VALE5, LAD NY, Treasuries 10 anos, Petróleo, Risco Brasil e Dólar comercial.

.
Para ver o vídeo: Clique na imagem. Abrirá uma nova janela e clique no play.
.

Fluxo 10 Mais – Semanal

fluxo



Importante: O vídeo têm propósito exclusivamente informativo e o intuito apenas de servir como um canal de discussão sobre estratégias gráficas. Em nenhum momento, as opiniões pessoais do autor representam recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. O autor não recomenda que seja feito uso desses modelos em aplicações comerciais e por sua vez, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas.

.
.
.

Análise Semanal 27/06

Publicado em 27.06.2009 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo, Análises Semanais

/

 

 

 

video

 

video

Parte 1

Parte 2

Para ver os vídeos: Clique na imagem. Abrirá uma nova janela e clique no play.

.

Parte 1 – Ibov, Fluxo Bovespa, BMF , Fluxo 10 Mais, LAD, SMLL, FHER3 e OHLB3.

Parte 2 – PCAR4, USIM5, DJI, S&P500, VIX, LAD NY, Petróleo, Treasuries 10 anos, EMBI e Dólar comercial.

 

Fluxo 10 Mais Semanal

 

Saldo positivo

Saldo negativo

BBDC4 113.800.000
PETR4 70.100.000
BRTP3 66.346.900
MRVE3 44.872.300
BBDC3 44.612.412
USIM5 43.564.300
ITSA4 42.770.400
TBLE3 34.182.900
USIM3 28.549.400
RSID3 24.570.610
VALE5 (314.708.000)
OGXP3 (64.100.000)
CMIG4 (45.200.000)
VALE3 (41.775.100)
RDCD3 (39.566.800)
PETR3 (36.913.100)
TNLP4 (36.577.100)
ALLL11 (26.247.600)
BVMF3 (23.539.400)
AMBV4 (20.723.200)
 
.

Análise Semanal 06/06

Publicado em 06.06.2009 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo, Análises Semanais

 

 

video

 

video

Parte 1

Parte 2

 

Para ver os vídeos: Clique na imagem. Abrirá uma nova janela e clique no play.

Parte 1 – Ibov, Fluxo Bovespa, BMF , Fluxo 10 Mais, LAD, PETR4 e VALE5, Comparativo mineradoras, Comparativo siderúrgia, CRUZ3.

Parte 2 – DJI, S&P500, VIX, LAD NY, Petróleo, CRB, Treasuries 10anos, EMBI, Dólar comercial e Juros Futuros (Jan/10, Jan/12).

.

Fluxo 10 Mais Semanal

 

Saldo positivo

Saldo negativo

GGBR4 132.525.900
CMIG4 131.000.000
USIM5 124.709.100
BBDC4 58.344.200
BBAS3 45.967.100
RDCD3 35.462.600
BVMF3 34.284.800
PETR3 31.800.000
LREN3 28.000.700
ALLL11 27.966.200
VALE5 (255.300.000)
PETR4 (219.600.000)
OGXP3 (71.129.700)
CSNA3 (34.652.400)
GFSA3 (32.626.800)
BRTP3 (29.617.600)
EMBR3 (23.294.900)
RENT3 (23.144.800)
MRFG3 (17.120.700)
FFTL4 (16.467.600)
 
.

Análise Semanal 30/05

Publicado em 30.05.2009 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo, Análises Semanais

.

 

video

 

video

Parte 1

Parte 2

 

Para ver os vídeos: Clique na imagem. Abrirá uma nova janela e clique no play.

 

Parte 1 – Ibov, Fluxo Bovespa, BMF , Fluxo 10 Mais, LAD, PETR4 e VALE5, PCAR4 e NETC4.

Parte 2 – DJI, S&P500, VIX, LAD NY, , Petróleo, CRB, Treasuries 10anos, EMBI, Dólar comercial e Juros Futuros (Jan/10)

 

 

Fluxo 10 Mais Semanal

Saldo positivo

Saldo negativo

PETR4 235.671.400
GGBR4 199.678.900
BVMF3 196.188.700
BBDC4 121.215.000
CSNA3 116.332.600
USIM5 77.863.400
USIM3 57.414.900
VALE3 52.499.200
PETR3 46.300.000
PRGA3 43.979.500
BBDC3 (187.550.600)
VALE5 (174.113.300)
LREN3 (98.705.100)
GFSA3 (88.782.200)
TAMM4 (60.505.200)
NATU3 (37.179.200)
ALLL11 (30.800.000)
BRTP3 (26.450.300)
SDIA4 (22.600.000)
LOGN3 (19.622.400)
.
.

Análise Semanal 17/04

Publicado em 17.04.2009 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo, Análises Semanais

.

video1

video2

Parte 1

Parte 2

 

Para ver os vídeos: Clique na imagem. Abrirá uma nova janela e clique no play.

 

Parte 1 – Ibov, Fluxo Bovespa, BMF , Fluxo 10 Mais, PETR4, VALE5, USIM5, SLCE3.

Parte 2 – EWZ Ishares Brazil, DJI, S&P500, VIX, New High Nem Low, LAD NY, Petróleo, CRB, Treasuries 10 anos e Dólar.

.

Fluxo 10 Mais Semanal

Saldo positivo

Saldo negativo

VALE5 358.500.000
VALE3 150.500.000
GGBR4 142.400.000
BBAS3 126.500.000
BBDC4 102.502.200
BVMF3 80.500.000
CSNA3 52.367.300
AMBV4 49.662.200
CYRE3 40.297.700
GOAU4 40.215.200
CMIG4 (91.000.000)
ITSA4 (55.431.200)
ELPL6 (47.606.700)
NETC4 (30.459.200)
RDCD3 (23.550.600)
PRGA3 (23.510.600)
MRVE3 (22.183.500)
PDGR3 (19.000.500)
PCAR4 (15.612.600)
MMXM3 (14.195.900)
 
.

EUA:Brasil aparece em 5º em posição de Treasury

Publicado em 16.03.2009 por na(s) categoria(s) Informações, Opinião

.

Muito interessante esta notícia divulgada agora a pouco.

O Brasil aumentou sua posição em títulos do Tesouro dos EUA em janeiro e assumiu a quinta posição no ranking, ultrapassando o Reino Unido, com US$ 133,5 bilhões desses títulos. Se pensarmos que o Brasil possui reservas na ordem de US$ 200 bilhões, os títulos do tesouro americano representam 67% da carteira. Podemos afirmar que a teoria da diversificação não agrada muito ao Banco Central brasileiro. ;)

Olhando para os primeiros dez colocados, encontraremos diversos países emergentes. Parece que cada vez mais, estamos diante de uma nova ordem mundial.

Outro ponto, que chama atenção é o volume enorme de recursos chineses nos títulos americanos. São mais de 700 bilhões de dólares. Não é a toa que a saúde econômica da terra do Tio Sam interessa tanto para os orientais.

Veja a tabela completa da participação de cada país nos treasuries, clicando aqui .

.

Decisão do Fed

Publicado em 16.12.2008 por na(s) categoria(s) Análises

Agora a pouco, o Banco Central americano cortou a taxa de juros para o menor patamar da história. O Fed preferiu definir uma faixa de atuação, ao invés de um número referencial. Assim os juros americanos poderão oscilar entre 0 e 0,25% aa.

A decisão surpreendeu o mercado que esperava um corte de 0,50 pontos percentuais. Os mercados reagiram imediatamente. O Ibovespa, fechou nos 39993 pontos (alta de 4,37%) e o Dow Jones operava a pouco, com uma alta de mais de 4 %.

IBOV

DJI

IBOV
Parece estar deixando a LTB para trás

DJI
Superando os 9000 pontos confirma formação do pivot

Assim que o comunicado do Fed foi anunciado, os treasuries americanos inverteram a direção e voltaram a cair pesado. Os treasuries de 10 anos fecharam em 2,3525%. Já o Risco Brasil que trafega na mão oposta ao rendimento dos treasuries (veja gráfico abaixo), apesar da pequena desvalorização hoje, continua bem próximo dos 500 pontos base.

us10

Treasuries 10 anos e Risco Brasil

Apesar do bom humor dos investidores e das boas perspectivas gráficas apresentadas, o corte dos juros americanos precisam ser analisados em conjunto com os números do CPI (índice de inflação) apresentado hoje. O índice de preços ao consumidor americano subiu 1,1% em novembro ante o mesmo mês do ano passado, a menor apreciação anual desde fevereiro de 1965 e uma profunda desaceleração em relação à alta de 5,6% de outubro. O núcleo do CPI avançou 2% em relação a novembro do ano passado.

Ou seja, me parece bastante provável que os EUA estejam próximos de uma “estagdeflação”, uma combinação mortífera de estagnação/recessão econômica e deflação. Neste caso, a política monetária adotada  terá pouco efeito na economia real americana.

.

Ela está de volta

Publicado em 12.11.2008 por na(s) categoria(s) Análises

Depois de uma pequena trégua nos últimos dias, hoje a volatilidade dos mercados voltou com força total.

Rumores de que a Amex, teria se transformado em holding bancária de olho em um possível acesso ao programa de ajuda do Fed e a reação ao corte de projeção de resultados para o ano fiscal de 2009, da maior companhia de eletrônicos norte-americana, a Best Buy, foram o estopim do mau humor dos investidores logo pela manhã.

Em seguida, números da economia britânica, confirmando a recessão, e a fala do secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, apresentando mudanças no pacote de salvamento já aprovado, aumentaram o pessimismo.

DJI

IBOV

DJI – Gráf. Diário

Ibov – Gráf. Diário

No fim do dia, o Dow Jones fechou em queda de 4,73%, em 8266 pontos. O Nasdaq nos 1499 pontos (-5,17%). O S&P500 nos 852 pontos (-5,19%). O Ibovespa nos 34373 pontos (-7,75%)

O Dow Jones se aproxima do importante suporte nos 8200. Se rompido, o índice americano deve buscar os próximos objetivos nos 7500 e posteriormente nos 6000 pontos.

O Ibovespa, por outro lado, mostrou um volume bem acima do apresentado nos últimos dias. A principal responsável por isso, foi a Petrobras. Investidores estrangeiros, possivelmente descontentes com o resultado apresentado pela empresa, saíram maciçamente do papel (Fluxo das 10 mais -PETR4- saldo hoje -R$240milhões).

Amanhã o índice brasileiro, deve testar o suporte dos 33800. A perda deste patamar desfaz a figura do OCOI, mencionada no vídeo semanal.

vix

petroleo

VIX – Gráf. Diário

Petróleo NY
Gráf. Mensal

O VIX, índice de volatilidade de Nova York, voltou a subir e hoje confirmou um pequeno pivot de alta, fechando nos 66 pontos.

Acompanhando a queda nas bolsas, o petróleo em NY, confirmou a perda do importante suporte dos US$60,00. Fechou cotado a 55,70 dólares. O próximo objetivo são os US$50,00. Foi neste patamar de preço que se iniciou, em Janeiro de 2007, a forte tendência de alta da commoditie, e que culminou com o recorde histórico de US$147,00 dólares em Julho deste ano. Usando o Fibonacci no tempo, podemos identificar como possíveis meses de término da correção os meses de Novembro (38%), Fevereiro/09 (50%) e Junho/09 (61,8%). O gráfico mensal do Petróleo exemplifica este estudo. (Devido a uma limitação técnica da plataforma não pude traçar as linhas de 38% e 50%).

Talvez esta perspectiva gráfica possa coincidir com um novo corte da Opep, que pretende antecipar a reunião, marcada para o final do mês.

risco

tres2

Risco Brasil

Treasuries 2 anos

O Risco Brasil, hoje subiu 2,05% (447 pontos) . Nunca é interessante ver esse importante indicador da saúde econômica do país subir, mas se o compararmos hoje com o de outros países emergentes, a alta foi irrisória. O risco da Turquia subiu 8% e o russo disparou 26%. Na Russia aliás, mais uma vez a bolsa por lá acionou o circuit breaker.

Talvez o sinal de maior fraqueza apresentado hoje, tenha sido a perda do suporte de 1,30 dos treasuries de 2 anos. O fechamento foi em 1,16. É o menor patamar dos últimos 4 anos. Com um rendimento tão pequeno nos títulos do tesouro americano, fica evidente o receio dos investidores em tomar posições em mercados mais arriscados.

.

Aversão ao risco

Publicado em 22.10.2008 por na(s) categoria(s) Análises

.

Assim é a vida de um investidor que se aventura a escrever sobre o mercado quase que diariamente. Ontem animado com a perspectiva de que a volatilidade irracional estava perto do final, escrevi um artigo focando na possível trégua que o indicador VIX estaria sinalizando. Mas hoje o mercado, voltou a dar mostras que não pretende facilitar a vida dos analistas.

O VIX voltou a trabalhar próximo do patamar dos 70 pontos, refletindo as quedas das bolsas pelo mundo.

O Ibovespa registrou queda de 10,18%, aos 35069 pontos (menor patamar desde 25 de setembro de 2006). Mais uma vez o circuit breaker foi acionado às 17h18.

O Dow Jones encerrou em baixa de 5,69%, aos 8.519 pontos; o S&P-500 caiu 6,10%, aos 896 pontos; e o Nasdaq declinou 4,77%, aos 1.615 pontos. Na Europa, o dia também foi negativo: o londrino FTSE-100 perdeu 4,46%; o CAC-40, de Paris, -5,10%; e, em Frankfurt, o DAX registrou decréscimo de 4,46%. Na Ásia, mais perdas: na Bolsa de Tóquio, o Nikkei 225 recuou 6,8%.

IBOV

DJI

vix

Ibov

Dow Jones

VIX

Além do VIX, outros indicadores deixam claro o aumento da aversão ao risco por parte dos investidores em todo o mundo.

Os treasuries americanos, que representam o principal instrumento de proteção em momentos de pânico, tiveram uma forte queda. Os yelds de 10 anos cairam para 3,60, baixa de 3,20%. A queda nos yelds (rendimento) dos treasuries se deve a procura maior pelos títulos do tesouro americano.

O petróleo, depois que os números dos estoques americanos confirmaram uma demanda menor pela commodity, confirmou a perda do suporte nos 70 doláres, caindo com força mais de 7% e fechando o dia cotado em NY nos 67 dólares.

treas

petroleo

Treasuries 10 anos

Petróleo

Risco Brasil disparou e alcançou os 661 pontos, alta de 26% (até as 18:00hs). Lembrando que este indicador representa como o investidor estrangeiro enxerga a conjuntura econômica do Brasil. Aliás por falar em economia brasileira, hoje a dupla dinâmica, formada pelo Sr. Henrique Meirelles e pelo Sr. Guido Mantega, anunciou uma medida provisória (443) que delega poderes ao Banco do Brasil de comprar qualquer instituição pública ou privada que estiver em dificuldade. Essa notícia caiu como uma bomba no mercado. Rapidamente começaram os boatos sobre possíveis quebras de instituições financeiras brasileiras e sobre um possível risco sistêmico eminente.

Diante deste cenário, os juros futuros na BMF acionaram também o seu circuit breaker. Os juros para Janeiro de 2010 bateram nos incríveis 16,22 pontos, alta de 10,19%.

A reunião do Copom sobre a taxa de juros, na semana que vém, promete ser de difícil decisão para os seus membros. Afinal de contas, de um lado temos a recessão batendo na porta e do outro a inflação alimentada por um dólar incontrolável.

Por falar na moeda americana, hoje, mesmo com novas intervenções do banco central, ela voltou a trabalhar próximo dos R$ 2,40, alta de mais de 5%.

risco

juros

dolar

Risco Brasil

Juros Jan/2010

Dólar Futuro

A sensação aparente no mercado é que todos os agentes estão se preparando para enfrentar uma dura e longa recessão nos países desenvolvidos. Por isso a procura por ativos seguros na moeda americana. Neste momento a palavra de ordem é: segurança. A estratégia é: desmontar operações em países emergentes de maior risco e se proteger debaixo das garantias (será ? ) dos títulos do tesouro americano.
.

Página 1 de 212