Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Highlights 2trim.2012 – JHSF Partic. – JHSF3

Publicado em 16.08.2012 por na(s) categoria(s) Análises, JHSF3, x Raio X

 

Fundamentos

  • A JHSF registrou lucro líquido consolidado de R$ 42,5 milhões no segundo trimestre de 2012, o que representa um recuo de 18,2% ante igual período do ano passado.
  • A receita líquida somou R$ 226,6 milhões entre abril e junho, com queda de 6,9% ante o segundo trimestre de 2011.
  • O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) totalizou R$ 70,4 milhões no segundo trimestre do ano, uma expansão de 1,1% sobre o mesmo trimestre de 2011.
  • JHSF pretende realizar lançamentos que totalizem R$ 2 bilhões de valor geral de vendas (VGV) no biênio 2011-2012.
  • Foco na divisão de renda recorrente – shopping centers e locações comerciais.
  • Receita do segmento de renda recorrente foi de R$ 15,2 milhões, crescimento de 20,2% ante o mesmo período do ano passado. O lucro líquido ajustado do segmento atingiu R$ 12,2 milhões, alta de 39,2%. As vendas reportadas pelos lojistas avançaram 15,6%.
  • Já na divisão de incorporações imobiliárias, a receita líquida totalizou R$ 192,2 milhões, recuo de 11,7% na comparação entre os mesmos trimestres, enquanto o lucro somou R$ 58,4 milhões, queda de 23,5%.
  • A dívida líquida subiu 71%, para R$ 565 milhões no segundo trimestre. O perfil é de longo prazo, com vencimento acima de 1 ano.
  • A empresa anunciou a aquisição de terreno em Nova Iorque, na Quinta Avenida, em frente ao Central Park. Será um projeto de renda recorrente (aluguel) ainda em fase embrionária.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

Impressiona o rali de alta que o ativo vem surfando desde meados do mês passado. Considerando o fechamento de ontem, a alta já ultrapassa os 39%. A JHSF3, rompeu com força a zona de congestão que tinha como principal resistência a faixa dos R$6,30/R$6,35 e neste momento se encontra bem sobrecomprada no IFR(14) do gráfico diário. No gráfico semanal, corroborando com o IFR, temos a proximidade da banda superior do canal de alta originado desde o fundo de Maio de 2010. Me parece inevitável, tecnicamente, uma correção saudável no curto prazo.

JHSF3
Gráf. Diário

JHSF3s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012–CSN–CSNA3

Publicado em por na(s) categoria(s) Análises, CSNA3, x Raio X

 

Fundamentos

  • CSN reverteu o lucro líquido e apresentou um prejuízo líquido de R$ 1 bilhão no intervalo de abril a junho deste ano.
  • Segundo a empresa, o prejuízo ocorreu por conta de “reclassificação contábil”. Se não fosse esse efeito, segundo a empresa, a empresa teria apresentado um lucro de R$ 551 milhões.
  • Resultado negativo de R$ 2,283 bilhões no segundo trimestre ocorreu devido, principalmente, “à reclassificação das perdas acumuladas em seus investimentos em ações ordinárias (USIM3) e preferenciais (USIM5) da Usiminas”.
  • O Ebitda ajustado atingiu R$ 1,12 bilhão no segundo trimestre do ano, uma queda de 37% em relação a igual período de 2011.
  • A empresa apresentou uma queda de 14 % em sua margem Ebitda no trimestre passado ante o segundo trimestre de 2011, para 27%. Ante o trimestre anterior o recuo foi de 2 p.p.
  • A receita líquida foi de R$ 4,137 bilhões no período, queda de 4% na comparação trimestral.
  • As vendas de aço da CSN no segundo trimestre do ano somaram 1,412 milhão de toneladas, um aumento de 9% em relação a igual período do ano passado.
  • Já as vendas de minério de ferro pela companhia caíram 10% ante o segundo trimestre de 2011 e recuo de 9% ante o primeiro trimestre do ano.
  • Investimentos no segundo trimestre do ano somaram R$ 775 milhões, recuo de 11,9% em relação ao investido no mesmo período de 2011 (R$ 880 milhões).
  • A dívida líquida no 2trim.2012 somou R$ 15,605 bilhões, aumento de 38% em relação ao mesmo trimestre de 2011.
  • Em teleconferência, a empresa afirmou que a reclassificação contábil promovida no balanço do segundo trimestre deste ano – principal fator que levou à empresa ao prejuízo líquido de R$ 1 bilhão no período – não afeta o pagamento de dividendos, já que a empresa possui reservas de lucros anteriores.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

 

Gráficos

Em tendência de baixa tanto no gráfico semanal como no gráfico diário. No curto prazo, tenta confirmar um fundo na retração de 61,8% de Fibonacci, próximo dos R$10,00. O primeiro passo para uma versão da tendência de CP, seria o rompimento da resistência marcada pelo topo anterior nos R$11,80. Nesta faixa, que vai dos R$11,80 até os R$12,00, outros fundos já foram formados no passado, além disso passa a LTB iniciada no topo de Março deste ano.

CSNA3
Gráf. Diário

CSNA3s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012–BR Properties–BRPR3

Publicado em 14.08.2012 por na(s) categoria(s) Análises, BRPR3, x Raio X

 

Fundamentos

  • A BR Properties registrou lucro líquido de R$ 332,390 milhões no segundo trimestre do ano, mostrando evolução de 109% sobre o mesmo período do ano anterior.
  • O Ebitda ajustado cresceu 90% para R$ 144,568 milhões. A margem Ebitda ajustada alcançou 90%.
  • A receita líquida totalizou R$ 160,935 milhões, com aumento de 93%.
  • A empresa teve resultado financeiro negativo de R$ 184,952 milhões, ampliando a perda de R$ 27,056 milhões do mesmo intervalo de 2011.
  • o lucro do trimestre foi impactado pelo efeito da valorização das propriedades para investimento de R$ 554,5 milhões e por uma despesa financeira líquida resultante da variação cambial – não caixa – sobre o principal do nosso bônus perpétuo, no valor de R$ 57,3 milhões.
  • Ocorreram despesas não recorrentes referentes à fusão com a One Properties no valor de R$ 6,9 milhões.
  • BR Properties possui 122 imóveis comerciais que totalizam 2.182 mil m² de área bruta locável (ABL), dos quais 16 são projetos de desenvolvimento que, uma vez completados, corresponderão a 451 mil m² de ABL.
  • Nas revisões dos contratos, foram registrados ganhos reais de 16,3% nos imóveis de escritórios;
  • A taxa de vacância financeira do portfólio foi de 1,3%, enquanto a taxa de vacância física atingiu 1,9%. Em termos de espaço físico, os imóveis de escritórios, industriais e varejo estavam 98,2%, 97,9% e 100,0% ocupados ao término do trimestre, respectivamente.
  • A taxa de inadimplência é desprezível no período, de apenas 0,2%. Confirmando a qualidade dos inquilinos.
  • 88% da receita proveniente dos alugueis é reajustado pelo IGP-M. 8% pelo IPCA.
  • 72% dos alugueis possuem vencimento apenas em 2015.
  • Em 1º de junho de 2012, a BR Properties passou a integrar o Índice MSCI (Morgan Stanley Capital International) Brasil, um dos mais reconhecidos no mundo e utilizado como benchmark por investidores institucionais.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

Ativo lateralizando dentro de uma zona de congestão que já dura aproximadamente 5 meses. Resistência nos R$24,70 e suporte nos R$21,60. Olhando o gráfico semanal, interessante notar o forte estreitamento das bandas de bollinger. Essa queda de volatilidade pode representar uma movimentação mais brusca no curto prazo.

BRPR3
Gráf. Diário

BRPR3s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012–Raia Drogasil–RADL3

Publicado em 13.08.2012 por na(s) categoria(s) Análises, RADL3, x Raio X

 

Fundamentos

  • A Raia Drogasil registrou lucro de R$ 49,333 milhões no segundo trimestre desse ano. A comparação com o mesmo período de 2011 não é possível, porque a fusão entre a Raia e a Drogasil ocorreu em Agosto de 2011.
  • O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) atingiu R$ 97,528 milhões de abril a junho.
  • A receita líquida da empresa atingiu R$ 1,323 bilhão no segundo trimestre
  • A empresa mostrou um sólido patamar de crescimento das vendas no conceito mesmas lojas e ganho de margem bruta.
  • As sinergias provenientes da fusão permitiu a integração do setor de compras e assim um maior poder de barganha.
  • A empresa vem conseguindo combinar a eficiência na gestão operacional da Drogasil, com o agressivo plano de expansão do número de lojas da Droga Raia.
  • No segundo trimestre, a Raia Drogasil alcançou uma participação de mercado de 9% em âmbito nacional, um incremento de 0,2%
  • Raia Drogasil informou que tem a intenção de realizar a incorporação de sua subsidiária integral Raia S.A.. Desta forma não serão mais abertas lojas com a bandeira Raia. Já com a bandeira Drogasil a expansão continua. Com esta mudança o guidance de 2012 foi alterado, de 130 lojas para 110. Para 2013, a meta é a abertura de 130 lojas.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

A valorização do ativo no ano já superou os 70%. O distanciamento expressivo da média de 200 períodos presume uma correção ou uma acomodação no curto prazo. Alguns investidores de prazo operacional mais curto podem realizar parte do lucro. A divergência do IFR(14) com os preços corrobora neste sentido. No longo prazo, podemos observar, pelo gráfico semanal, o belo canal de alta que o ativo vem realizando.

RADL3
Gráf. Diário

RADL3s
Gráf. Semanal

Resumo Semanal 10/08

Publicado em 10.08.2012 por na(s) categoria(s) Análises, Análises em Vídeo, Análises Semanais

IMPORTANTE: Para ver o vídeo, basta clicar no play. Na barra de comando, sugiro que coloquem a resolução de 720p, assim a qualidade será de HD. Além disso, clicando no canto inferior direito poderão assistir ao vídeo em tela cheia.

.

Disclaimer: O vídeo têm propósito exclusivamente informativo e o intuito apenas de servir como um canal de discussão sobre estratégias gráficas e fundamentalistas. Em nenhum momento, as opiniões pessoais do autor representam recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. O autor não recomenda que seja feito uso desses modelos em aplicações comerciais e por sua vez, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas.

Highlights 2trim.2012–Mahle Metal Leve–LEVE3

Publicado em 09.08.2012 por na(s) categoria(s) Análises, LEVE3, x Raio X

 

Fundamentos

  • Lucro líquido de R$ 36,8 milhões no segundo trimestre de 2012, queda de 5% na comparação com igual período do ano passado, quando obteve R$ 38,8 milhões.
  • A receita líquida ficou praticamente estável no segundo trimestre em relação ao intervalo de abril a junho de 2011. A variação foi negativa em 0,3%, passando de R$ 569,1 milhões para R$ 566,4 milhões.
  • O ebitda somou R$ 85,3 milhões no segundo trimestre, ante R$ 93,8 milhões registrado no mesmo período de 2011, uma queda de 9,1%.
  • A mudança da legislação de emissões de poluentes para Euro 5 foi o principal motivo para a queda nos números.
  • No segundo trimestre as vendas do mercado interno caíram 5,8%, para R$ 337 milhões. Por outro lado, as vendas direcionadas ao mercado externo subiram 8,6%, para R$ 229,4 milhões, em relação a igual trimestre anterior.
  • Na conferência, a direção da empresa disse que espera que as margens de rentabilidade tendem a voltar para o mesmo nível do ano passado, graças as medidas adotadas pelo governo federal para incentivar o setor.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

Mesmo diante das dificuldades que o setor vem tendo este ano, as ações da empresa conseguiram marcar a sua máxima histórica em Julho. Nos últimos dois meses a LEVE3 vem fazendo topos e fundos ascendentes acima da média móvel de 20 períodos. No gráfico semanal, temos um canal de alta bem consolidado desde o fundo da crise do subprime em 2009. Interessante notar como cresceu bem a liquidez do ativo nos últimos 6 meses.

LEVE3
Gráf. Diário

LEVE3s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012–BM&FBovespa–BVMF3

Publicado em por na(s) categoria(s) Análises, BVMF3, x Raio X

 

Fundamentos

  • A BM&FBovespa registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 300,1 milhões no segundo trimestre deste ano, cifra 2% superior à apresentada no mesmo período de 2011, de R$ 294,2 milhões.
  • A BM&Bovespa atribui o resultado ao “forte crescimento das receitas”, que foi parcialmente compensado pela queda do resultado financeiro e pelo aumento dos impostos sem impacto no caixa.
  • O Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 403,8 milhões de abril a junho, alta de 28,9% quando comparado ao montante visto 12 meses antes, de R$ 313,2 milhões.
  • A receita líquida da bolsa totalizou R$ 541,2 milhões no segundo trimestre, elevação de 15,7% em relação aos R$ 467,6 milhões registrados em igual intervalo de 2011.
  • Segundo trimestre reflete o crescimento de novos produtos, melhorias de eficiência operacional e as iniciativas da companhia para controle de custos.
  • As receitas no segmento Bovespa totalizaram R$ 268,7 milhões no segundo trimestre de 2012, alta de 11,7% ante o mesmo intervalo do ano passado. No período, a participação do segmento no resultado da BM&FBovespa chegou a 44,5%.
  • As margens de negociação tiveram recuo de 5,862 bps, para 5,498 no segundo trimestre, por conta do aumento da participação dos investidores de alta frequência (HFTs, na sigla em inglês) e das operações de day trade, que têm desconto nas tarifas.
  • As receitas do segmento BM&F somaram R$ 239,6 milhões, ou 39,7% da receita total, no segundo trimestre deste ano, expansão de 25,4% na comparação com o mesmo período do exercício passado.
  • O volume negociado de derivativos foi recorde, conforme a BM&FBovespa, com avanço de 25,7% no segundo trimestre.
  • As despesas da BM&FBovespa permaneceram estáveis no segundo trimestre deste ano em R$ 166,1 milhões tanto quando comparadas ao trimestre anterior quando relacionadas ao mesmo intervalo do ano passado.
  • A BM&FBovespa investiu R$ 45,2 milhões entre abril e junho deste ano, montante quase 70% superior à cifra desembolsada no primeiro trimestre. Quando comparado ao mesmo intervalo de 2011, o montante ficou praticamente estável. No segundo trimestre deste ano, a maioria dos investimentos feitos foram destinados à tecnologia.
  • A BM&FBovespa apresentou resultado financeiro de R$ 54,7 milhões no segundo trimestre deste ano, recuo de 22,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A cifra foi impactada, conforme a bolsa, pela depreciação do real em relação ao dólar, que impactou as despesas financeiras, e a redução dos juros, que puxou para baixo as receitas.
  • A BM&FBovespa prevê lançar no segundo semestre deste ano as plataformas de balcão para registro de instrumentos de renda fixa, tais como certificado de depósito bancário (CDBs) e letras de crédito imobiliário, mercados até então dominados pela Cetip.
  • A nova plataforma de negociação de multi-ativos, PUMA Trading System, que substituirá o Mega Bolsa já começou a ser testada.
  • A listagem cruzada de derivativos entre a BM&FBovespa e a Chicago Mercantile Exchange (CME) poderá começar em outubro. A negociação dos mini contratos futuro do S&P 500 e de petróleo (WTI) serão autorizados neste mês.
  • A receita com derivativos financeiros da BM&FBovespa ultrapassou pela primeira vez os ganhos obtidos no mercado à vista de ações. Os derivativos financeiros contribuíram com 39% da receita da BM&FBovespa enquanto o mercado à vista de ações respondeu por 37%.
  • A meta divulgada desde o final de 2011 era que a bolsa seria palco para no mínimo 40, mas o presidente da empresa , Edemir Pinto, já admite que dificilmente 50% da meta será alcançada.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image_thumb12
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

Ativo fazendo topos e fundos ascendentes no curto prazo e respeitando o canal de alta no gráfico diário. Muito próximo da máxima do ano, nos R$12,40. Este patamar é a principal resistência no CP. Olhando o gráfico semanal, percebemos que após deixar um fundo na retração de 61,8%, o objetivo de Fibonacci se encontra próximo de uma resistência horizontal nos R$16,40.

BVMF3
Gráf. Diário

BVMF3s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012–Alpargatas–ALPA4

Publicado em 08.08.2012 por na(s) categoria(s) ALPA4, Análises, x Raio X

 

Fundamentos

  • A Alpargatas registrou lucro líquido de R$ 61,4 milhões no segundo trimestre deste ano, queda de 16,9% ante o mesmo período de 2011.
  • O Ebitda atingiu R$ 74,4 milhões de abril a junho, queda de 27,4% frente ao apurado em igual intervalo do ano passado. A margem Ebitda recuou 6,1 pontos porcentuais, para 10,2%.
  • A receita líquida da companhia somou R$ 727,3 milhões no segundo trimestre, crescimento de 15,5% em relação ao mesmo período de 2011.
  • No segundo trimestre, foram vendidas 51,340 milhões de unidades de calçados, vestuário e acessórios no Brasil, quantidade 9,4% maior que a do mesmo período do ano passado.
  • O Conselho de Administração da Alpargatas aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio no montante bruto de R$ 20,600 milhões, sendo R$ 0,05130106 por ação ordinária e R$ 0,05643116 por preferencial. Data “ex” 10/08.

 

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

Ativo em tendência de baixa, fazendo topos e fundos descendentes. O suporte no curto prazo se encontra nos R$11,70. Na faixa dos R$10,80/R$11,00 se encontra um suporte importante marcado pelo topo da congestão deixada em 2011 (gráfico semanal). Uma reversão da atual tendência, apenas com o rompimento da LTB e a formação de um pivot de alta acima da média móvel dos 20 períodos.

ALPA4
Gráf. Diário

ALPA4s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012 – Marcopolo – POMO4

Publicado em por na(s) categoria(s) Análises, POMO4, x Raio X

 

Fundamentos

  • A Marcopolo registrou lucro líquido de R$ 60,6 milhões no segundo trimestre deste ano, uma queda de 20,6% ante o mesmo período de 2011.
  • O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) recuou 5,1% na mesma comparação, para R$ 92,3 milhões, com margem de 10% (-2,6 pontos porcentuais).
  • A receita líquida consolidada alcançou R$ 918,6 milhões, alta de R$ 19,3% sobre o segundo trimestre do ano passado.
  • A dívida líquida da Marcopolo totalizava R$ 681,6 milhões no final de junho, com ligeira queda de 0,67% ante o endividamento registrado no final de março, de R$ 686,2 milhões.
  • O resultado financeiro líquido da empresa no segundo trimestre deste ano foi negativo em R$ 1,2 milhão, ante resultado positivo de R$ 24 milhões em igual período de 2011. O resultado, segundo a Marcopolo, é em grande parte explicado pelo menor volume de aplicações financeiras, com rendimento mais baixo em função da queda da taxa de juros, e das perdas com os hedges cambiais sobre as exportações, em função da desvalorização do real.
  • Aumento de 9,7% no volume vendido, pelo faturamento de chassis (R$ 44,67 milhões), pela consolidação da Volgren, na Austrália (R$ 88,5 milhões), e pela maior receita das exportações em função da variação cambial.
  • A produção consolidada no segundo trimestre foi de 7.976 unidades, alta de 8,1% ante o mesmo período do ano passado. Unidades do exterior tiveram um aumento de 33,1%.
  • A participação de mercado da Marcopolo no Brasil foi de 45,6% no segundo trimestre deste ano, ante 44,7 do 2trim.2011.
  • Projeção de investimentos para este ano passaram de R$140milhões previstos anteriormente para R$200 milhões.

image
Patrim. Líquido

image
Receita Líq. (12m)

image
Lucro Líquido (12m)

image
Ebit (12m)

image
Caixa

image
Div. Líquida

Gráficos

A projeção do pivot de alta no curto prazo foi alcançada (R$10,30), agora a expectativa é o teste no topo histórico nos R$10,70. No gráfico semanal notamos que o ativo perdeu o canal de alta em Maio mas encontrou um suporte no fundo dos R$8,00, onde inclusive passa a retração de 61,8% de Fibonacci.

POMO4
Gráf. Diário

POMO4s
Gráf. Semanal

Highlights 2trim.2012 – AES Tiete – GETI4

Publicado em 07.08.2012 por na(s) categoria(s) Análises, GETI4, x Raio X

 

Fundamentos

  • Lucro líquido foi de R$229,5 milhões no 2trim.2012, alta de 43% ante os R$160milhões registrados no mesmo período do ano passado.
  • O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) atingiu R$ 404,2 milhões de abril a junho, alta de 32,8% ante os R$ 304,4 milhões apurados no mesmo período de 2011. A margem Ebitda registrou subiu 1,1 pontos porcentuais, para 75,5%.
  • A receita líquida da companhia somou R$ 535,2 milhões no segundo trimestre, crescimento de 30,8% em relação ao mesmo período de 2011.
  • A AES Tietê gerou um volume total 3,780 mil gigawatts-hora (GWh) no segundo trimestre de 2012, 7,9% superior ao registrado em igual período de 2011
  • A empresa continua trabalhando para atingir a meta de seu plano estratégico em 5 anos, que é chegar aos 3.000 MW.
  • A AES Tietê pretende substituir todo o seu contrato bilateral com a AES Eletropaulo pelo mercado livre até 2016.
  • O conselho de administração da AES Tietê aprovou  proposta de distribuição de dividendos intermediários, no montante total de R$ 250,75 milhões, correspondente a R$ 0,627442473 por ação ordinária e R$ 0,690186720 por ação preferencial. Data “ex” 06/08.

 

 

image_thumb[12]
Patrim. Líquido

image_thumb[14]
Receita Líq. (12m)

image_thumb[13]
Lucro Líquido (12m)

image_thumb[15]
Ebit (12m)

image_thumb[17]
Caixa

image_thumb[16]
Div. Líquida

Gráficos

No curto prazo, fica a expectativa para a formação de um novo pivot de alta no gráfico diário. Os preços parecem fazer o último fundo próximo da média móvel de 20 períodos. O ativo rompendo o topo anterior próximo dos R$28,80, o objetivo segundo as expansões de Fibonacci estaria nos R$30,85. No gráfico semanal, tendência de alta de longo prazo continua intacta. LTA, serve de orientação, sendo já testada em quatro oportunidades.

GETI4
Gráf. Diário

GETI4s
Gráf. Semanal