Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


BR Properties 3trim.2013

Publicado em 05.11.2013 por na(s) categoria(s) Análises, BRPR3, x Raio X

 

 

  • Receita Líquida de R$236,6 milhões, crescimento de 41% comparado ao 3T12.
  • EBITDA ajustado de R$218,2 milhões, acréscimo de 47% sobre 3T12 e margem EBITDA ajustada de 92%.
  • O lucro líquido do trimestre totalizou R$89,6 milhões, impactado por um ganho no valor justo das propriedades de R$44,4 milhões.
  • O FFO ajustado, excluindo despesas não caixa, totalizou R$74,7 milhões, acréscimo de 171% sobre o 3T12 e margem FFO ajustado de 32%.

 

image  image

  • Participação na receita:
    61%, ou R$154,8 milhões, resultaram da receita de locação de escritórios;
    29%, ou R$72,6 milhões, resultaram da receita de locação de imóveis industriais;
    5%, ou R$13,8 milhões, resultaram da receita de locação de imóveis de varejo;
    1%, ou R$2,2 milhões, resultaram da receita de serviços;
    4%, ou R$11,2 milhões, resultaram da linearização da receita.
  • Dívida Líquida/EBITDA Ajustado de 5,2x, uma redução de 29% em relação ao 3T12.
  • A posição de caixa totalizou R$839,7 milhões, um aumento de 213% em relação ao mesmo período do ano passado.
  • As despesas gerais e administrativas caíram para R$15milhões, enquanto no 3T12 essas despesas totalizavam R$17,4 milhões, uma redução de 14%.
  • O leasing spread médio líquido de inflação (escritórios + industriais) do trimestre atingiu +1,7%,
  • Ao final de outubro, o portfólio apresentou taxas de vacância financeira e física de 9,7% e 4,9%, respectivamente. Excluídos os edifícios recém-entregues, Ed. Paulista e Torres D&E do Complexo JK, as taxas de vacância financeira e física seriam de 3,2% e 2,8%, respectivamente;
  • Inadimplência do portfólio continua muito baixa. No 3trim.2013 foi de apenas 0,1%.

 

image  image

 

Opinião CHR: Apesar das preocupações com o setor imobiliário recentemente, a BR Properties vem mantendo números bem satisfatórios. Os bons imóveis do portfólio e consequentemente a boa qualidade dos inquilinos permitem manter níveis muito baixos de vacância e inadimplência. Em 2014, a empresa terá R$ 785milhões em dívidas para pagar. Importante acompanhar como a empresa vai atuar para postergar este montante. Em compensação, 75% dos contratos vencem apenas depois de 2016, permitindo uma boa programação financeira.

 

Gráficos: A BRPR3 já caiu mais de 35% desde a sua máxima histórica registrada no final do ano passado. Observando o gráfico semanal percebemos que nos últimos meses o ativo está lateralizando dentro de um range que vai dos R$17,00 aos R$20,00. Inclusive esta movimentação pode ser confirmada pelas bandas de Bollinger que se encontram paralelas.
Com a divulgação dos números do 3trimestre, a BRPR3 voltou a testar o suporte de curto prazo nos R$18,20. Rompendo este suporte,o ativo deve testar a base da congestão.

 

BRPR3 BRPR3s

.

Ambev 3trim.2013

Publicado em 01.11.2013 por na(s) categoria(s) AMBV4, Análises, x Raio X

 

 

  • Receita líquida foi de R$23,7 bilhões, alta de 7,4% sobre os R$22 bilhões do mesmo período de 2012.
  • Lucro Líquido caiu 1,92% para R$6,63 bilhões.
  • Ebitda teve alta de 9,1% para R$ 11 bilhões. Margem Ebitda subiu para 46,4%, ante 45,7% do 3trim.2012.
  • Crescimento de receita por região: Cerveja Brasil +0,8%, RefrigeNanc Brasil +5,4%, HILA-ex +10,7%, LAS +14,8%, enquanto Canadá -0,1%.
  • CPV cresceu 5,8%. Despesas com vendas, gerais e administrativas caíram 0,5%.
  • A geração de caixa operacional aumentou 7,4%, totalizando R$ 4.689,8 milhões.
  • Investimento em CAPEX foi de aproximadamente R$ 1 bilhão durante o trimestre.
  • Estimativas que a indústria de cerveja no Brasil tenha contraído 4,3%. Por aqui, a receita da empresa cresceu 0,8% com uma queda de 5,0% dos volumes, mas um desempenho sólido da ROL por hectolitro, que cresceu 6,0%.
  • A média de participação de mercado para o trimestre foi de 68,0%.
  • Para RefrigeNanc Brasil, a receita líquida cresceu 5,4%, com uma queda de 2,0% em volumes provocada pela indústria, a qual compensada por um aumento de 7,6% da ROL por hectolitro. Guaraná Antarctica atingiu a participação de mercado recorde de 10% durante o trimestre, a mais alta historicamente .
  • Operações no Caribe e América Central o EBITDA totalizou R$ 121,8 milhões (+37,5% ).
  • Operações na LAS entregaram um EBITDA de R$ 674,8 milhões no 3T13 (+20,3%).
  • No Canadá, o EBITDA aumentou 0,6% no trimestre, atingindo R$ 582 milhões.
  • A decisão do Governo Federal em não mais aumentar os impostos em 2013 deverá ser positiva para o volume e cria condições para a cia manter o plano de investimento recorde no Brasil.

image image image

Opinião CHR: Apesar do ano desafiador para a Ambev, as ações da cia estão praticamente no zero a zero em 2013. Um bom resultado, se pensarmos que o Ibovespa apresenta uma desvalorização de mais de 10%. As expectativas para 2014, são bastante positivas com o evento Copa do Mundo no radar.  Líder de mercado e focada em eficiência, a empresa merece um lugar de destaque em todos os portfólios de longo prazo.

Gráficos: A AMBV4 no gráfico diário trabalha em cima da média móvel de 200 períodos. No curto prazo o principal suporte são os R$83,20. Resistência nos R$88,00.
Olhando para o gráfico semanal, fica claro o caixote que o ativo vem trabalhando durante todo 2013. Não temos uma tendência definida nesta periodicidade mais longa.

AMBV4 AMBV4s

.

Natura 3trim.2013

Publicado em 31.10.2013 por na(s) categoria(s) Análises, NATU3, x Raio X

 

  • Receita Líquida consolidada R$1,777 Bilhão no 3trim. +12% em relação ao 3trim.2012.
  • Ebitda consolidado R$398 milhões, +3,5%. Margem Ebitda ficou em 22,4% ante 24,3% de um ano antes.
  • Lucro líquido consolidado R$183,7 milhões, -22,6%. Margem líquida caiu de 15% para 10,3%.
  • Se não considerarmos o impacto da marcação a mercado de derivativos atrelados a dívida em moeda estrangeira, o lucro líquido cresceu 4,5%.
  • Vendas no Brasil cresceram 5,4%. Resultado da intensificação dos investimentos em marketing, da receita incremental advinda do lançamento de SOU e da estratégia no ciclo de vendas do Dia dos Pais.
  • Base de consultoras cresceu 2,5% frente ao ano anterior e a produtividade 2,9%.
  • Rede Natura que iniciou na cidade de Campinas (SP), a partir de outubro foi ampliado para a cidade de São José dos Campos (SP) e a expectativa é de iniciar sua expansão no Brasil ao longo de 2014.
  • Guidance de Capex deste ano subiu de R$ 450 milhões para R$ 550 milhões.
  • O market share no segmento de mercado de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC) foi de 20,8%, queda em relação aos 22,6% no ano anterior.
    A empresa implantou o pagamento de cartão de crédito para algumas consultoras. A idéia é expandir para todas as consultoras no Brasil.
  • Estimativa da diretoria é que o mercado vai continuar crescendo no mesmo ritmo do 1º semestre. O market share deve se manter até o final do ano.
  • O aumento dos custos de logística preocupam a empresa. Principalmente o preço do frete. A mudança do centro de distribuição de Cajamar para São Paulo, no ano que vem, deve aliviar estes custos.
  • Apesar dos preços mais baixos nos produtos Soul, a rentabilidade é muito parecida com a dos outros produtos.
  • Operações da Aesop no Brasil devem ocorrer no ano que vem. Incialmente a entrada no país será feita através de lojas. Futuramente pode ser implantada a venda no catalogo das consultoras.

 

image image image

Opinião CHR: A empresa continua com suas bases sólidas. A governança é exemplar e possui uma preocupação com o social e com a sustentabilidade que a diferenciam das demais companhias listadas na bolsa.
Uma preocupação crescente deve ser com a forte concorrência do setor. A Natura vem perdendo market-share nos últimos trimestres e isso pode afetar ainda mais as margens no futuro.
Em que medida a Aesop irá influenciar a receita da cia é outra questão importante a ser acompanhada.

Gráficos: Os números do balanço do 3trim.2013 decepcionaram os players do mercado e a NATU3 abriu em gap de baixa no dia 24/10. Fez um fundo nos R$43,65 e agora trabalha próximo dos R$45. Olhando para um período mais longo (gráfico mensal), o papel vinha se recuperando do fundo deixado em Agosto (R$41,40) e parecia indicar o início de uma nova tendência de alta. A perda da mínima do mês passado parece desfazer esta impressão inicial. Próximo suporte importante nos R$41,40. o fechamento do gap nos R$47,00 é a resistência mais próxima.

 

NATU3 NATU3m

.

RaiaDrogasil 2ºtrim.2013

Publicado em 27.08.2013 por na(s) categoria(s) Análises, RADL3, x Raio X

 

 

  • Lucro líquido ajustado de R$ 58,6 milhões no trimestre, uma margem líquida de 3,7%.
  • EBITDA ajustado de R$ 103,5 milhões, um aumento de 3,2% e um decréscimo de margem de 0,8 ponto percentual, ficando em 6,5%. Essa queda da margem ocorre principalmente devido as margens mais estreitas das lojas novas.
  • A cia encerrou o 2T13 com R$ 1.604,1 milhões de receita bruta, um incremento de 16,6%. Se excluirmos as lojas encerradas e suspensas da base de comparação, o crescimento seria de 18,1%, um aumento de 1,5 ponto percentual.
  • Margem bruta ajustada foi de 27,0% no trimestre, uma retração de 1,1 ponto percentual.
  • Imbróglio tributário no estado de SP vem prejudicando a margem bruta. A direção da Raia Drogasil, espera uma solução ainda para este ano, se não pretende rever a política tributária da empresa.
  • As despesas com vendas totalizaram R$ 289,8 milhões, equivalente a 18,1% da receita bruta, uma elevação de 0,5 ponto percentual em comparação a 2012. O aumento dos alugueis e à abertura de novas lojas foram o principal motivo.
  • As despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 40,5 milhões no trimestre, equivalente a 2,5% da receita bruta, o que representou uma diluição de 0,7 ponto percentual quando comparado ao mesmo período de 2012.

 

image image image

  • Lojas: 906 lojas em operação (abertura de 25 lojas e 10 fechamentos) .
  • Programa de otimização do portfólio, a empresa espera concluir até o final de 2013 com um total esperado de 20 a 25 fechamentos de lojas no ano.
  • Este ano a empresa já abriu 61 lojas. No mesmo período do ano passado haviam sido abertas apenas 35 lojas.
  • Participação de mercado de 9,0% em junho, em linha com o 2T12.
  • Crescimento nas mesmas lojas de 10,2% e de 5,7% nas lojas maduras, com três ou mais anos em operação. Uma queda expressiva comparado com o trimestre do 2trim.2012.

 

image  image  image

  • A empresa espera que o governo volte a desonerar a folha do setor de farmácias, que terminou em Maio. Caso ela não retorne, a empresa será obrigada a voltar no balanço com a provisão trabalhista.
  • No dia 1ºsetembro a empresa pretende começar toda a integração dos sistemas (deve durar 6 meses). Isso vai melhorar a margem e a eficiência da cia. Alinhamento do mix, unificação dos cadastros, sistema único de compras,etc…
  • Pipeline de lojas entregues em 2013 é de 130 lojas.
  • Foco da gestão: 1)Melhoria da margem bruta e do ciclo de caixa. 2)Gestão rígida de despesas. 3) Conclusão da integração do sistema.
  • Em teleconferência, a direção confirma que o segundo semestre será desafiador. A margem Ebitda, por exemplo, deve ficar abaixo da média verificada no ano passado.
  • A direção também confirmou que pretende abrir novos mercados (novas regiões) em 2014. A sensação é que estes novos mercados sejam no nordeste.

Gráficos

A RADL3 apresenta uma queda de 30% desde o último topo deixado em Maio deste ano. Ou seja, no curto prazo, temos uma tendência clara de baixa, com o ativo fazendo topos e fundos descendentes abaixo da média móvel de 20 dias. Olhando para um cenário mais amplo, no gráfico semanal, notamos que o papel encontrou uma zona de suporte marcada pelo topo de Outubro de 2010, nos R$16,00. Nesta mesma faixa de preço temos as retrações de Fibonacci da última perna altista.

 

RADL3d RADL3s

 

Kepler Weber 2trim.2013

Publicado em 21.08.2013 por na(s) categoria(s) Análises, KEPL3, x Raio X

 

  • Vendas R$240milhões. +113 ante 2trim2012.
  • Carteira de Pedidos R$203milhões. (+80%)
  • Receita Líquida R$128Milhões, +75%. A receita da armazanagem cresceu 138%.
  • Ebitda R$19,9Milhões, +185% de crescimento. Margem Ebitda de 15%. No 2trim.2012, a margem era de 9%.
  • Lucro Liquido foi de R$8,7milhões, +1451% ante 2trim.2012. Margem Líquida de 7%.
  • Endividamento da cia cresceu 41%, para R$31milhões.

image  image

 

  •  O novo produto Super Silo ainda não começou a ser comercializado. Continua em fase de testes.
  • A taxa de sucesso da cia cresceu forte. De 54,2% em 2012 para 69% o 2trim2013.
  • Crescimento da agricultura (safra recorde) e o plano antigo de incentivo ao setor realizado pelo governo foram os principais motivos para o bom resultado do trimestre.
  • O governo anunciou um novo plano Safra com juros de 3,5%aa. Bem abaixo da Selic. Mas esta taxa é somente até Dezembro. É preciso acompanhar a renovação ou não desta taxa.
  • O novo plano do governo é de R$5Bilhões ao ano, pelo período de 5anos. O governo já mostrou que a ideia é um investimento de longo prazo. E estes recursos podem ser alocados em obras civis, o que não era permitido no plano anterior. Apenas como parâmetro, o repasse do BNDEs  através do plano Safra em 2012, foi da ordem de R$600milhões.
  • A direção da empresa destaca que a empresa ainda não foi beneficiada com este novo plano. A expectativa para os próx. trimestres é bem positiva.

 

image   image 

 

  • Apesar da nítida melhora da cia, a direção fez questão de ressaltar na teleconferência que a base de comparação do 2trim.2012 foi muito baixa.
  • As melhorias expressivas das margens se deve também a ampliação do setor de compras e consequentemente a um ganho na seleção dos fornecedores e no custo das matérias primas.
  • Na teleconferência, a direção informou que a capacidade instalada da cia é de processar 100mil toneladas . Atualmente a produção é de 58mil toneladas. Portanto, no curto prazo a empresa teria condições de acompanhar o forte crescimento da demanda.
  • A direção não se mostrou preocupada com a capacidade produtiva da cia, mas sim com o gargalo de mão de obra qualificada.

image   image

 

  • A queda das exportações ocorreu de forma momentânea e devido ao mau humor das economias dos países clientes.
  • Benefícios da exportação para a Kepler Weber: 1)diversificar e portanto ficar menos exposta ao mercado doméstico 2) competir com grandes players mundiais e assim ganhar expertise.
  • A direção acredita que a sazonalidade histórica vai continuar apesar do Plano Safra. Ou seja, o segundo semestre vai continuar superior ao primeiro, mas a diferença vista no passado deve cair muito.
  • A empresa pretende ampliar o foco no setor de movimentação de granéis.
  • Política de dividendos é de distribuir 47% do resultado líquido.

 

Gráficos

A KEPL3 rompeu a resistência dos R$20 e superou a congestão que já durava 2 meses. Olhando para o gráfico semanal o ativo vem fazendo pivots de alta desde o fundo dos R$7,60 deixado no final do ano passado. Diante da força compradora e dos bons resultados esperados para o segundo semestre não me surpreenderia se o ativo atingisse os R$33 até o final do ano.

KEPL3d  KEPL3s

.

Alpargatas 2ºtrim.2013

Publicado em 15.08.2013 por na(s) categoria(s) ALPA4, Análises, x Raio X

 

  • Receita Líquida consolidado, R$832Mi, +14%. Ebitda consolidado, R$130mi, +76%. Margem Ebitda +15,7%, +5,5pp sobre o 2trim2012. Lucro Líquido, R$70,5Mi, +15%. Margem líquida 8,5%, +0,1pp sobre 2trim.2012.
  • Receita Líquida Brasil – R$548Mi, +18% ante 2trim.2012. Na Argentina R$158Mi, +16%. Internacional, R$123Mi , -1%.
  • Ebitda Brasil, R$97Mi, +140%. Margem 18%.
  • Ebitda Argentina, R$12,4Mi, +49%.Margem 8%.
  • Ebitda Internacional, R$21,2Mi Margem 17%.

image image image

  • Calçados esportivos, +27%. Sandálias +16% no mercado externo.
  • A idéia da empresa era priorizar o mercado externo no 1ºtrim. e o mercado doméstico no 2ºtrim. Mas a forte queda das vendas em Junho, devido as manifestações, prejudicou o crescimento de receita no mercado interno que era esperado.
  • Queda de 14% no preço da borracha no 2ºtrimestre.
  • Crescimento das margens e das vendas na Argentina no trimestre foram muito positivas.
  • O dólar e o euro mais fortes que influenciariam os produtos importados (Timberland, Mizuno) foram suavizados com os hedges cambiais.
  • Primeira sandália fabricada na nova fabrica de Montes Claros foi produzida em 21 de Junho. O início da produção efetiva deve ocorrer em Outubro de 2013.

image image

  • Integração Osklen: está em andamento. A idéia é focar o crescimento da marca no mercado externo e usufruir das sinergias o mais rápido possível.
  • A direção da empresa tem uma perspectiva muito boa nos produtos esportivos. Mizuno ganhando muito share. Mizuno focada em “running”.
  • O 2ºsemestre deve ser beneficiado com a nova fabrica. Permitindo que os gargalos na produção de Havaianas não se repitam.
  • A empresa pretende crescer muito o número de lojas nos EUA.
  • Caixa no 2trim. foi de R$639Milhões. Dívida Bruta em R$389Milhões.
  • Do total da dívida 51% é em reais e o restante em outras moedas (peso, dólar e euro).
  • Capex foi de R$246Mi no período. Metade deste valor foi investido na nova fábrica de Montes Claros.
  • Dividendos: já foram liberados R$63milhões em 2013. Payout de 39%.

Gráficos

O gráfico semanal testa o suporte da média móvel de 40 períodos que equivale a média móvel de 200 períodos no gráfico diário. Olhando o gráfico mensal notamos que os atuais R$13 reais representam também a resistência rompida em Maio da zona de congestão que vinha desde o início de 2012. No longo prazo portanto a tendência de alta se mantém.

 

ALPA4s ALPA4m

.

Ultrapar – 2ºtrim.2013

Publicado em 06.08.2013 por na(s) categoria(s) Análises, UGPA3, x Raio X

 

  • Receita Líquida R$15,2 Bilhões, 17% acima do 2tri2012.
  • Lucro líquido atinge R$284Milhões no 2tri, 21% a mais em relação ao mesmo período do ano passado.
  • Ebitda consolidado atinge R$706Milhões no 2tri, 22% acima do 2tri2012.
  • Volumes, receitas e Ebitda cresceram em todos os negócios.
  • Aprovada distribuição de R$354Milhões, R$0,66 por ação.
  • Elevação de rating pela Moody’s
  • Ultrapar passou a integrar o IBrX-50 a partir de maio.
  • Expectativa de aumento da margem ebitda em dólar para o segundo semestre.
  • Crescimento no volume da Ultracargo e na margem ebitda. Efeitos da aquisição do Tenmar.
  • 28 trimestres consecutivos de crescimento de Ebitda. O ROE da empresa neste período cresceu de 13% (2trim.2006) para 18% (2trim.2013)
  • Capex aprovado de R$1,4Bilhão em 2013. A direção confirmou na teleconferência que pode ficar um pouco abaixo deste valor. Isso porém não significa, que a diferença indique uma possibilidade de maior distribuição de dividendos. Em 2012, o Capex foi de R$1,3Bilhão.
  • Foco da empresa é abrir postos Ipirranga no norte, nodeste e centro oeste.
  • Expectativa é de 300 a 350 postos a mais por ano.
  • Em teleconferência, a direção afirmou que para manter a linha de tendência de alta no Ebitda, a empresa pode investir em negócios na qual ainda não atue.

 

image      image

image      image

 

 

Análise Gráfica: Canal de alta muito bem delineado e com uma alta desde o fundo da crise do subprime de mais de 500%. Também interessante perceber como a média móvel de 40 semanas (linha vermelha) vem servindo como um suporte importante. No gráfico diário percebemos que o papel está muito próximo de fazer uma nova máxima histórica.

 

UGPA3d  UGPA3s

.

Ambev – 2ºtrimestre 2013

Publicado em 31.07.2013 por na(s) categoria(s) AMBV4, Análises, x Raio X

Números

  • Crescimento da Receita Líquida foi de 9,6%.
  • Custo dos Produtos vendidos cresceu 10,8%. Principal fator adverso foi a depreciação do Real.
  • Despesas com vendas, gerais e administrativas aumentaram 13,5%. Copa das Confederações provocou mais gastos comerciais.
  • Ebitda ajustados cresceu 6,8%, para R$ 3.217,9 milhões . Destaque para o segmento de cervejas no Brasil que teve uma alta de 9,2%.
  • O lucro ajustado diminuiu 2,2%, alcançando R$ 1.887,7 milhões como resultado de despesas financeiras líquidas mais elevadas combinadas com uma alíquota efetiva de imposto mais alta. O lucro por ação (LPA) ajustado diminuiu 2,7%, chegando a R$ 0,60.

image

PL, receita e Ebit crescendo trimestre após trimestre. A cia conseguiu equacionar muito bem a sua dívida nos últimos 3 anos.

Investimentos e Caixa

  • Investimentos em CAPEX corresponderam a R$ 756,4 milhões durante o trimestre, sendo R$ 559 milhões de investimentos no Brasil.
  • Posição líquida de caixa de R$ 1.913,2 milhões.

Segmento Cerveja

  • Participação de mercado de cerveja foi de, em média, 68,1% durante o trimestre, mantendo-se estável em relação ao 1T13.
  • Em termos de ROL por hectolitro, o desempenho foi muito bom, com um aumento de 10,0% graças aos aumentos de preço do ano passado combinados com um maior peso da distribuição direta e dos volumes premium.
  • Volumes premium cresceram a dois dígitos e o Mercado Norte e Nordeste continuou a se expandir.

  • Foco na estratégia de embalagens começou a ganhar impulso, com um bom desempenho das garrafas retornáveis de vidro de 1 litro e de 300 ml no mercado.
  • Estimativa de que a Copa das Confederações da FIFA tenha trazido aproximadamente 300 mil hectolitros de volume incremental.

image

A queda nas cotações vista nos primeiros meses do ano, afrouxaram moderadamente os indicadores fundamentalistas.

Segmento Refrigerantes

  • No segmento de refrigerantes, a receita por hectolitro cresceu 10,2% no trimestre, mais que compensando a queda de 4,7% do volume provocada pela indústria.

Mercados internacionais

  • Apesar das dificuldades ainda percebidas na economia Argentina e das condições climáticas desfavoráveis no Canadá , as operações internacionais da cia mostraram uma boa evolução.

image

O cenário macro mais desafiador e o aumento dos impostos pesou nas margens da companhia.

Expectativas

  • A direção da empresa comunicou que a meta é focar nas margens da companhia. O bom resultado apresentado no Ebitda deste trimestre enfatiza esta prioridade.
  • Expectativa da direção para 2013 é que o segmento de cervejas no Brasil permaneça estável ou que caia um dígito baixo no ano . A receita por hectolitro da empresa cresça um dígito alto e que o CPV por hectolitro cresça dois dígitos baixos.

image

Como era de esperar, as cotações acompanham a evolução do lucro da empresa.

 

Gráficos

 

O gráfico semanal da AMBV4, mostra um ativo bem indefinido no curto prazo. Não temos uma tendência clara. Apenas o rompimento do topo nos R$87 reais, ou do fundo nos R$75,  pode deixar o cenário mais claro.
Os bons números do balanço do 2ºtrimestre trouxeram entusiasmo e o papel abriu em gap de alta e opera com uma alta de mais de 3%.
Olhando exclusivamente para a tendência de longo prazo (gráf. mensal), a onda de alta continua intacta, apesar da desvalorização de 2% em 2013.

AMBV4s

AMBV4m

Gráf. Semanal Gráf. Mensal
.
 

Natura – 2ºtrimestre 2013

Publicado em 29.07.2013 por na(s) categoria(s) Análises, NATU3, x Raio X

 

Números

  • Receita Líquida R$1,7Bilhão, cresceu 6,7% ante 2trim.2012.
  • Ebitda R$410Milhões, +4,7%. Margem Ebitda caiu de 24,3% para 23,9%. Referente ao 2trim.2012.
  • Lucro Líquido R$240Milhões, +11,7%. Margem Líquida de 13,4% para 14%.

Investimento e dívida

  • Expectativa Capex para 2013, R$450Milhões. Em 2012, foi de R$437Milhões.
  • Aumento endividamento. Dívida Bruta R$2,297 Bilhões. Dívida Total Líquida R$1,5Bilhão.

image

Expectativas e mercado

  • Novas consultoras +1,9%, no 1semestre. Total 1249. A atividade das consultoras caiu. A justificativa dada pela empresa é o aumento da concorrência e também o menor número de lançamentos de produtos.
  • Não se verificou uma queda no ticket médio. A queda de atividade se deve a redução dos pedidos.
  • Expectativa de melhora no mercado local para o segundo semestre.
  • Evoluções significativas no mercado internacional da Natura.
  • Maior concorrência e menos produtos lançados, reduziram o market share da cia em Cosméticos e Fragrâncias , de 37,6% para 34,7%. Em Higiene Pessoal queda de 11,9% para 11,3%.
  • O mercado da Natura como um todo cresceu 13% aproximadamente nos primeiros 4 meses de 2013.
  • A empresa reconheceu no conference call que é preciso ter um equilíbrio melhor entre os lançamentos de novo produto durante o ano. Ultimamente a Natura tem priorizado os lançamentos no 2ºsemestre.

image

Vendas e marketing

  • Lançamento de Soul mostram sinais positivos. Mercado para a linha deste produto é de US$4Bilhões. Neste mercado a Natura ainda não atuava, já que era um segmento voltado para um público de menor renda. E por enquanto não se viu ainda “canabilização” com outros produtos da empresa.
  • Rede Natura (venda pela internet) – experiência em Campinas tem sido positiva. Daqui a 2 meses devem sair os primeiros resultados oficiais. Este novo canal de vendas pode modificar significativamente o potencial da empresa. Resultados financeiros deste canal deve ser visto apenas no médio prazo.
  • A empresa planeja aumentar os investimentos em marketing. A direção fez questão de ressaltar que estas despesas não impactarão na rentabilidade da empresa. A expectativa é de manter uma margem Ebitda em 2013 próxima de 23,7%.

Dividendos

  • Dividendos e juros capital próprio –> R$0,83 por ação.

image

Gráficos

NATU3 sinaliza uma tendência de baixa no gráfico semanal. Utilizando as projeções de Fibonacci, o pivot projeta um objetivo de baixa nos R$39, o que representaria uma queda de 32% desde o topo histórico do papel deixado no início deste ano.

NATU3

.

Estudo Setor Imobiliário – 1º trimestre 2013

Publicado em 12.07.2013 por na(s) categoria(s) Análise Fundamentalista, Análises, Aprendizado

 

Já fazia algum tempo que eu não atualizava o meu estudo sobre os papeis do setor de construção negociados em bolsa. O último havia sido em Maio do ano passado.

Aliás esta demora acabou até sendo positiva para o aprendizado, afinal de contas as mudanças ocorridas neste período foram relevantes. E os números que vocês podem acompanhar abaixo não me deixam mentir.

A primeira coisa que chama a atenção é o número de companhias que permanecem no estudo. Nos artigos anteriores  eram em média 14/15 empresas. Agora ficaram apenas 9. Isso ocorreu por que as empresas que tiveram prejuízo no primeiro trimestre deste ano foram excluídas. Alguns indicadores não fariam sentido se a empresa analisada não apresentasse lucro nas suas operações.

Vamos então dar uma olhada na tabela e no resultado dividido por cada múltiplo:

 

image

 

image

 

  • Metodologia do estudo

A metodologia utilizada para o estudo é a mesma apresentada nos artigos anteriores. Utilizando os oito indicadores fundamentalistas mostrados na tabela acima, identifiquei o grau de atratividade de cada um deles e dei uma pontuação para cada ativo.

Por exemplo, no caso do P/L, listei em ordem crescente (do menor ao maior) os ativos. No caso, a MRV foi a empresa que possuía a menor relação preço/lucro e portanto ficou com 1 ponto. A Even com 2 pontos, a Helbor com 3 pontos… e assim por diante.

Em seguida somamos a pontuação que cada empresa obteve em cada um dos múltiplos utilizados. Quanto menor a pontuação, mais atraente a empresa.

  • Ordem

P/L – EV/Ebit – DIv. Br/PL – Ordem crescente

ROE – Margem Ebit – LPA/P – Liq. Corrente – Div./Yield – Ordem decrescente

  • Cotação

O P/L, o EV/Ebit e o LPA/P usaram a cotação de quinta-feira, dia 11/07/2013, como parâmetro.

  • Balanço

Todos os números utilizados referem-se ao balanço do 1º trimestre de 2013.

 

Resultado Final:

 

image

 

Este é o quarto estudo que eu realizo utilizando esta metodologia (os outros foram em: 31/01/2012 , 16/04/2012 e 28/05/2012 ). E o interessante é que se compararmos os resultados, vamos perceber que apesar de o setor de construção ter sofrido fortes abalos, as empresas que aparecem no topo como as mais atrativas continuam sendo praticamente as mesmas. Essa constatação confirma a importância de se analisar os fundamentos das companhias e a ideia de que empresas com boas margens possuem uma vantagem competitiva significativa sobre outras, permitindo passar com mais tranquilidade por períodos de crise.

Um investidor por exemplo, que tivesse usado como parâmetro para estudo e investimento, as 5 primeiras colocadas do estudo realizado em 31/01/2012 não teria se decepcionado com o resultado. A não ser, a JHSF que praticamente ficou no zero a zero, as outras companhias apresentaram um bom retorno nestes últimos 18 meses. Principalmente se pensarmos que muitas empresas de construção tiveram dificuldades financeiras graves e que a bolsa de valores, através do seu principal índice, perdeu no período mais de 25%.

IBOV

JHSF3

EZTC3

IBOV JHSF3 EZTC3

HBOR3

EVEN3

DIRR3

HBOR3 EVEN3 DIRR3

 

Página 2 de 127123456789101112...203040...Última »