Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Modelo de garimpagem

Publicado em 17.03.2010 por na(s) categoria(s) Análise Fundamentalista, Análise Técnica, Aprendizado, Destaques, Estratégias, Opinião

.

image O Ibovespa se aproxima rapidamente do topo histórico nos 73920 pontos, atingido em 29 de maio de 2008. Ou seja, se considerarmos o fechamento de ontem, estamos a pouco mais de 5% da maior pontuação do principal índice da bolsa paulista. Se calcularmos a valorização do Ibov desde o fundo marcado em Outubro de 2008 (29435 pontos) superamos os 130% de valorização nos últimos 14 meses.

Diante deste cenário, as perguntas são inevitáveis: a bolsa está cara ou continua barata? Vale a pena investir agora ou é melhor esperar alguma correção? A bolsa vai continuar subindo ou vai cair?

A realidade é que não existe uma resposta única. Existem hoje na bolsa empresas que estão caras ao passo que há outras que continuam baratas. No pânico (como ocorreu no “bear market” de 2008), o mercado se desfez das ações de uma forma indiscriminada, pois nestes momentos a racionalidade deixa de prevalecer dando lugar ao comportamento de manada. E agora na euforia atual, a situação é muito parecida. Muitos investidores compram ativos influenciados pelo bom humor do mercado e não analisando os fundamentos e as perspectivas econômicas e gráficas do papel.

IBOV

Quando me refiro as perspectivas econômicas e gráficas do papel, quero dizer que não basta olhar apenas para os fundamentos de cada empresa. É necessário dimensionar o impacto de eventuais crises econômicas nos resultados futuros da empresa, e identificar a tendência do preço do ativo. Em linhas gerais o que pretendo é meclar os conceitos da escola fundamentalista e gráfica dentro de uma mesma estratégia.

Assim poderíamos criar o seguinte modelo de garimpagem:

  1. Selecionamos ativos com múltiplos atraentes.
  2. Encontramos ativos que tenham a capacidade de manter a lucratividade mesmo em um cenário macro-econômico mais adverso. Exemplo: empresas que conseguem manter a receita estável graças à monopólio, “market share” dominante, marca forte que permite a diferenciação do produto, etc. Exemplo2: Empresas que conseguem manter as margens porque possuem poder de barganha com fornecedores e desta forma podem repassar o aumento dos custos nos preços.
  3. Identificamos a tendência do ativo utilizando a análise gráfica e programamos o “momentum” de entrada.

Seguindo um modelo como este acho que o investidor pode sofrer menos com o movimento errático das bolsas e provavelmente conseguirá respostas para as duas primeiras perguntas do começo do artigo. Já uma resposta para a terceira e última pergunta duvido que alguém consiga dizer com grau de confiança satisfatório.

TAGS

Para sua imagem aparecer nos comentários, cadastre-se no Gravatar com o mesmo e-mail com o qual comentou.