Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Novamente o assunto da bolha…

Publicado em 30.06.2009 por na(s) categoria(s) Estratégias, Opinião

.

bolha

Nos últimos 3 meses, o Ibovespa subiu 50%. Foi uma valorização rápida e praticamente sem escalas. Sem dúvida, a bolsa brasileira foi o grande destaque no mercado mundial.

Assim, inevitavelmente, retorna o assunto da bolha. Estaríamos diante de uma bolha, preste a estourar?

Não tenho dúvida, de que a alta recente foi exagerada. Nas últimas semanas, tenho sido procurado por amigos conservadores, ávidos por investir na bolsa. A história se repete… o investidor pessoa física sempre chega quando a festa está terminando.

De qualquer forma, não descreveria a alta apresentada desde Março como uma bolha. Numa bolha, os preços ficam desconectados dos valores porque os compradores acreditam que, sejam quais forem os fundamentos, logo mais conseguirão vender o que compraram a um preço mais alto. A bolha, normalmente, estoura no fim, pois a oferta de pessoas dispostas a comprar a preços continuamente mais caros se esgota.

Muitas empresas brasileiras, com o advento da crise americana, de fato, ficaram com múltiplos muito interessantes. Em muitos casos, a valorização recente corrigiu estas distorções.

Além disso, algumas boas notícias ajudaram a melhorar o cenário. Devemos considerar, que existe uma diferença entre a forma como as boas e as más notícias afetam os preços. Posições compradas são mais fáceis de adquirir do que as posições vendidas. As empresas ficam ansiosas para divulgar boas notícias, ao passo que as más notícias precisam ser arrancadas delas.

Hoje em dia, mesmo para o pequeno investidor, a venda a descoberto é fácil e comum. Porém percebemos um certo estigma em operar “short”. É como se de alguma forma, é mais imoral especular vendendo alguma coisa que não temos, a comprar algo que não queremos.

Este aspecto psicológio é um dos ingredientes que alimentam a formação de uma bolha. O Ibovespa pode ter apresentado, ocasionalmente, este aspecto nos últimos meses, mas está muito longe de ser uma bolha.

Na física, entendemos como bolha quando uma quantidade muito pequena de matéria se expande para tornar-se um objeto muito grande. Fazendo uma analogia com o período de vida de um ser humano, diria que mesmo com a alta recente, o Ibov ainda é uma criança que não chegou nem a puberdade, tendo pela frente ainda, um longo caminho a trilhar (subir).

.

TAGS

Para sua imagem aparecer nos comentários, cadastre-se no Gravatar com o mesmo e-mail com o qual comentou.